Por que ler Mário de Andrade (Maria Augusta Fonseca)

capa_por_que_ler_mario_de_andrade

Fazer um retrato de Mário de Andrade e abordar sua obra é correr um risco e empreender uma ousadia. Há muitas personalidades que convivem dentro da figura de Mário de Andrade, esse personagem difícil de apreender, enigmático, questionador, sensível, reservado, brincalhão, sério, penetrante, exigente. Seus contemporâneos por vezes o descrevem como um homem melancólico, mas também expansivo, versátil, divertido, extrovertido. No mestre conjugavam-se seriedade profissional, manifestações de espírito lúdico e respeito humano. Na presença de desconhecidos, porém, seguindo depoimento de pessoas próximas e de familiares, Mário era bastante reservado.


Ninguém me contou eu vi (Sebastião Nery)

capa_ninguem_me_contou_eu_vi

Trata-se de uma coletânea de artigos e depoimentos divulgados na imprensa, ao longo dos últimos anos, mas que conservam uma oportunidade fora de dúvida, tanto pela importância das figuras políticas que neles aparecem como pelos próprios acontecimentos e suas conotações. Este não é um livro dogmático. Seu grande mérito consiste lucidamente em criar ampla margem à reflexão dos leitores. E outro não era o objetivo de seu autor, alcançando com o brilho que singulariza sua presença na imprensa brasileira.