/ governosp

Formação de mediadores de leitura na BSP

10

Teoria e prática se unem no primeiro encontro do Letras e Leituras, um curso de formação de mediadores de leitura literária promovido pela SPLeituras, organização social de cultura que faz a gestão da Biblioteca de São Paulo, um equipamento da Secretaria de Cultura. O curso é realizado na BSP e ministrado pelos pedagogos Marcia Wada e José Roberto da Silva, que fazem parte do A Cor da Letra, um centro de estudos, pesquisa e assessoria em leitura e literatura.

O objetivo do curso é discutir ideias, aplicá-las na Biblioteca de São Paulo e avaliar o resultado das ações, esclarecendo quem é o mediador, o que ele faz e quais são as possibilidades que esse profissional pode explorar. Entre os participantes estavam tanto funcionários da biblioteca, como pessoas que se inscreveram previamente.

O pedagogo José Roberto abriu o encontro com uma belíssima leitura do conto As Três Velhas, de Ítalo Calvino. Na sequência, os participantes assistiram a um vídeo sobre o projeto Literatura na Cesta Básica, realizado pela Cia. Circo de Trapo. Semanalmente, o projeto leva uma banca de livros à feira livre do bairro Jd. Santa Maria, na Zona Leste da cidade de São Paulo, onde os artistas da companhia realizam um trabalho de mediação de leitura. Quem se cadastra pode levar até dois livros para casa e devolver só no próximo dia de feira. A apresentação desse exemplo reforçou a ideia de que espaços não convencionais podem (e devem) ser utilizados para a prática da leitura.

Após a exibição do vídeo, os participantes do curso foram divididos em grupos para explorarem os espaços da biblioteca, sempre guiados pelos funcionários. A proposta era analisar 4 temáticas: espaço físico, público frequentador, atividades desenvolvidas e acervo de livros. Novamente reunidos, os participantes discutiram as impressões em relação à BSP, de acordo com as temáticas citadas. O grupo ficou impressionado com a diversidade do acervo, a boa divisão das seções, a disposição atrativa, as obras que atendem às pessoas com necessidades especiais e a organização das obras infantis, que permitem que os livros fiquem à altura das maõs das crianças. A boa conservação das obras também chamou a atenção dos participantes. Em relação ao espaço físico, as pessoas gostaram da arquitetura moderna, visão panorâmica, iluminação natural e decoração atrativa, principalmente em relação aos móveis. A diversidade tanto das atividades realizadas como do púlbico frequentador deixou o grupo fascinado. José Roberto e Marcia também instigaram o grupo a refletir sobre os tipos de biblioteca que existem e suas respectivas funções dentro de uma comunidade. O encontro também foi recheado de atividades práticas.

O grupo de 30 alunos é formado por professores, estudantes, bibliotecárias, funcionários e frequentadores da biblioteca. Todos mostraram ter consciência da importância da prática da leitura e o mais bacana é que a maioria dos alunos citou que o gosto pelos livros veio do incentivo de pais ou avós.

O ator Alexandre Figueiredo, que fez parte do elenco de apoio do filme Carandiru, de Hector Babenco, também estava presente. Alexandre pretende dar seguimento à carreira artística, mas deseja trabalhar com foco na educação infantil.

Serão ao todo 5 dias de curso. Os encontros acontecem todas as quintas-feiras, das 14h às 18h, com término no dia 13 de outubro.

Acredito que a melhor forma de finalizar esse texto é deixar aqui algumas frases muito bacanas que surgiram durante o curso:

“A leitura dá sede. E eu quero passar isso para as pessoas.”

“A leitura é uma válvula de escape, um universo paralelo.”

“O livro é o melhor amigo do homem.”

Texto por Denise Trolezi

Fotos por Camilo Árabe e Christian Silva

Compartilhe

Sobre o Autor

10 Comentários

  1. Parabéns pela programação!!!
    Só com muitos mediadores de leitura espalhados pela cidade vamos conseguir formar muitos leitores.Um país leitor!

    Viva!!!

  2. Jorgiléa Gomes Ribeiro on

    Sou Contadora de Histórias e desejo tornar-me mediadora de leituras, pois acredito que esta seja uma ferramenta importantíssima. Trabalho em escola pública e em associações de idosos, deficientes visuais e crianças com HIV positivo.

Deixe um Comentário

Ouvidoria Transparência SIC
Doe Máscaras