BSP recebe visita ilustre

0

A Biblioteca de São Paulo recebeu a visita de Maria Borja Solé, Doutora em Pedagogia e Professora Emérita do Departamento de Didática e Organização do Ensino, da Faculdade de Formação de Professores da Universidade de Barcelona. A visita aconteceu por intermédio da equipe da escola Tarsila do Amaral.


Da esq. para a dir.: Karina Marchini, da escola Tarsila do Amaral, Luciana Marques e Samira Pessoa, da equipe BSP, e Maria Borja Solé.

Borja Solé é pesquisadora na área do jogo e educação e responsável pela criação e orientação de inúmeras brinquedotecas em vários países. Leia abaixo o que ela fala sobre a relação entre o brincar e o desenvolvimento cerebral:

“As espécies mais evoluídas, isto é, com maior capacidade de aprender, utilizar instrumentos ou interpretar o mundo, são aquelas que brincaram mais horas em sua infância. De fato, existe uma correlação positiva entre o peso e complexidade da massa cerebral, a posição que cada espécie ocupa na escala animal e a complexidade e duração do tempo de brincadeira na infância de cada espécie. Assim, os ratos brincam nos primeiros dias de vida, os gatos ou cachorros nos primeiros meses e as pessoas nos muitos anos de infância e para sempre. Essa duração e essa capacidade lúdica distintas nas diferentes espécies incidem no desenvolvimento ou na evolução de cada uma delas. Na espécie humana, quanto mais brincarmos na infância – em qualidade e quantidade -, mais possibilidades teremos na vida adulta, porque o brincar incide no desenvolvimento das possibilidades pessoais: habilidades, capacidades, inteligências múltiplas e competências com que nascemos e das quais precisamos ao longo da vida.”

(Trecho extraído da entrevista concedida ao ISERJ – Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro)

Borja Solé irá doar à BSP dois de seus livros, que estão esgotados. Saiu encantada pelas atividades, proposta de inclusão e beleza do espaço da biblioteca.

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário