/ governosp

Ruth Rocha na Biblioteca de São Paulo

5

O auditório estava lotado. Vários pufes coloridos estavam à frente das fileiras de cadeiras, onde crianças esperavam ansiosas pelo início de mais um Segundas Intenções. Não era pra menos. A convidada era ninguém menos que Ruth Rocha, umas das maiores escritoras da literatura infantil brasileira.


Auditório lotado durante o Segundas Intenções com Ruth Rocha

Já na fila para entrar no auditório, encontramos a pequena Lígia Correia de Lima, 10 anos, que estava com um “frio na barriga”. Ela contou que quando começou a ler, ganhou dos pais o livro A Menina que Não Era Maluquinha e Outras Histórias. Ela tinha apenas 6 anos. Na mesma época, leu na escola O Reizinho Mandão. “Acho os livros dela muito legais“, afirmou a fã da escritora.

Ruth Rocha entrou no auditório com um sorriso no rosto, transbordando simpatia. Conversou com os fãs, tirou fotos e autografou livros. Depois, assistiu a um vídeo que a Biblioteca de São Paulo, em conjunto com a Mira Filmes, preparou em sua homenagem. Lia Rosenberg, ex-Diretora Executiva da SP Leituras, também prestou homenagem à escritora, que também é conselheira da organização social de cultura responsável pela gestão da BSP. Lia leu o texto Todas as Ruths do mundo, escrito por José Santos, em 2005.


Da esq. para a dir.: Rosane Fagotti, Diretora da BSP, Ruth Rocha e Lia Rosenberg, ex-Diretora Executiva da SP Leituras

Ruth Rocha dá autógrafos aos fãs

A escritora iniciou o bate-papo contando que a família dela gostava muito de ler e que seus pais sempre contavam histórias para ela e os irmãos. E que seu avô, em especial, era um grande contador de histórias.

De tanto ouvir histórias, acabei aprendendo a contar. Conheci a estrutura das histórias, que têm começo, meio e fim, e aprendi que a semente que a gente planta no início, rende frutos lá no meio da história.”

Ruth Rocha foi tomando gosto pela leitura e começou a ler livros de todos os tipos. Aos 13 anos se inscreveu na biblioteca circulante da Biblioteca Mário de Andrade. A escritora contou que quando entrou pela primeira vez na biblioteca e viu aquele monte de livros, fez um pacto consigo mesma: ler não só aqueles, mas todos os livros do mundo! Foi assim que começou sua paixão pela literatura. “Eu ia pegando os livros na sequência para ler e ficava triste quando via um ‘ buraco’ na prateleira, quando faltava um livro“, confidenciou. Monteiro Lobato era a sua leitura predileta. “Eu tinha 16 anos quando ele faleceu. Chorei e senti sua morte como se ele fosse meu parente. Devo 50% da minha vocação a Monteiro Lobato“, afirmou.

A escritora leu um texto sobre a leitura, que havia preparado para a ocasião. Entre outras coisas, o texto afirmava que ler é importante para melhorar nossa capacidade de ler, escrever, falar, estudar, e também para alargar nossos horizontes, expandir nosso conhecimento.

Eu acredito muito na leitura. A leitura é um passaporte insuperável para a vida. Ler é ter a possibilidade de voar.

Após a leitura do texto, Ruth Rocha abriu espaço para perguntas – de crianças e adultos – e falou sobre o início da carreira, inspiração para escrever, o primeiro livro que leu (O Garimpeiro do Rio da Garças, de Monteiro Lobato), o que pensa sobre adaptações de seus livros para o teatro, entre outras coisas.


A escritora responde às perguntas das crianças

O mais bacana foi a confirmação do que muitos já sabiam: Ruth Rocha é admirada por leitores de todas as idades. Como disse Karina Lopes, da equipe BSP, sua obra vai continuar fluindo de geração em geração por muito tempo.

Compartilhe

Sobre o Autor

5 Comentários

  1. Tinha mesmo gente de todas as idades. Um casal que já conta histórias da Ruth para o filhinho de três meses levou o bebê. Davi ficou no carrinho dormindo, mas já ganhou autógrafo da escritora.

  2. Cristiane Martins da Silva on

    O meu filho ja ouviu historias de Ruth Rocha ainda no ventre… ele se mexia ja … eu acho que ele ria… da forma que eu contava rsrs… adoro a Ruth! BSP agradeço pelo evento… sou eu… a mãe do Davi Odilon Martins

  3. Agnes Lopes Mesquita de Jesus on

    Que bom quando nossos ídolos não se desmancham quando os conhecemos de verdade!!!!!
    Foi assim com a Sra. Escritora Ruth Rocha.
    Ela é tão de verdade, tão carismática, suave e feliz, que tudo que lemos em seus textos são a verdade de sua essência como pessoa!
    Agora sei porque seus livros encantam a adultos e crianças.
    Agradeço por pessoas como ela estarem em nosso universo e não só da literatura, mas da humanidade.
    Parabéns à equipe da BSP por compartilharem conosco pessoas de tanto valor

  4. Pingback: Ruth Rocha e seus leitores | Biblioteca de São Paulo

  5. Vera L. Sampaio Leite on

    Na escola onde trabalho,vou dar início ao projeto LER É BOM, e escolhi trabalhar com Ruth Rocha. Cada vez tenho a certeza de que fui feliz na minha escolha. Tenho uma turminha de 4 ano e outra de 3ano. Parabéns a toda esta equipe que nos presenteou com informações tão preciosas. Ruth, sou sua fã.

Deixe um Comentário

Ouvidoria Transparência SIC
Doe Máscaras