Segundas Intenções de novembro

0

_

Por Sofia Sales

O Segundas Intenções de novembro na Biblioteca de São Paulo (BSP) trouxe dois grandes nomes da cena literária atual, Antonio Geraldo Figueiredo Ferreira e Sidney Rocha. O evento aconteceu neste sábado, 25, às 11 horas, com mediação do jornalista Manuel da Costa Pinto e foi realizado pela primeira vez no piso infantil.

O Segundas apresentou um pouco sobre a carreira e os livros dos dois escritores, ambos publicados pela editora Iluminuras.

Sidney Rocha é de Juazeiro do Norte (CE), iniciou sua carreira como cordelista e utilizava o cordel como meio de informação em sua cidade que não possuía um jornal local. A escrita e a publicação deste gênero literário foi substancial para Sidney, era uma forma de renda para a família. “Essa materialidade da literatura e da poesia sempre me acompanhou, sempre escrevo com essa fome, com essa necessidade”.

Crédito: Equipe SP Leituras

Crédito: Equipe SP Leituras

 

Publicado há 30 anos, Sofia, uma ventania para dentro, foi seu primeiro romance e ganhador do Prêmio Osman Lins em 1985. “Esse livro foi sofrendo edições, alterações e acréscimos e vai continuar, ao longo do tempo, sendo uma testemunho do escritor que eu me tornei”.

Antonio Geraldo Figueiredo Ferreira nasceu em Mococa (SP) e estreou em 2003 com obra poética Peixe e míngua. Em 2012, publicou o romance As visitas que hoje estamos, finalista do Prêmio São Paulo de Literatura como autor estreante. Em 2014, lançou o infantil O Amor pega feito um bocejo.

Já em seu primeiro livro, Geraldo leva essas questões de contradição e constituição do povo brasileiro, um entroncamento para sua literatura. “Um dos poemas de Peixe e míngua descreve foguetes em um jogo de futebol onde se escutam estampidos em que você consegue ouvir todos, mas não se pode ouvir um.”

O bate-papo seguiu com reflexões sobre as obras, o cenário da literatura nacional, as influências de cada um, a utilização da emoção nos livros e sobre a separação da realidade com a imaginação, ressaltando a importância dos livros como entretenimento. A conversa foi finalizada com uma reflexão sobre a influência da arte na vida das pessoas.

“Essa esperança de construir no amanhã, aquilo que a obra de arte carrega como capacidade, é uma experiência que não tem fim”, conclui Geraldo.

Os livros citados você encontra para empréstimo na Biblioteca de São Paulo, faça sua carteirinha e leve estes e outros para ler em casa.

Crédito: Equipe SP Leituras

Crédito: Equipe SP Leituras

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário