Oficinas do Sebrae na BSP

0
27.02 - Oficina Fluxo de Caixa - Equipe SPLeituras1

O analista do Sebrae José Augusto Simi fala sobre gestão e negócios // Crédito: Equipe SP Leituras

 

No fim de fevereiro, a Biblioteca de São Paulo (BSP) renovou a parceria com o Sebrae para uma série de palestras sobre gestão e negócios. Nesta terça-feira, 27, a biblioteca recebeu a Oficina de Fluxo de Caixa, das 10 às 12 horas, que integra a programação especial de empreendedorismo. Nela, foram dadas dicas para quem busca montar o seu negócio ou para quem já tem um, tendo foco em pequenos e microempresários.

O fluxo de caixa é uma ferramenta que descreve toda a movimentação financeira de uma companhia. Neste escopo, por exemplo, estão o pagamento da folha salarial, dos fornecedores, a compra de insumos e o recebimento das vendas, seja elas feitas por meio eletrônico ou por boleto. A oficina detalha, por exemplo, as taxas de administração dos cartões de crédito e quando é melhor parcelar ou receber à vista uma venda.

De acordo com o tutor, o analista do Sebrae José Augusto Simi, é necessário criar uma planilha com as contas a pagar e a receber. Entre elas estão luz, IPTU, telefone, internet, impostos, combustível, taxas bancárias e financeiras, por exemplo. Falou também da importância de não confundir o caixa pessoal com o da empresa.

“Todo empresário tem que ter um pró-labore, que é uma espécie de salário. É imprescindível saber que salário não é o lucro. Salário é salário”, sentenciou. Ele avança, dizendo que o controle financeiro é importante para o crescimento sustentável do negócio.

“É necessário anotar os centavos. É chato, mas tem que fazer. O ideal é que o fluxo de caixa seja diário. Se não for possível, ter uma planilha semanal já ajuda”. Simi conta ainda que é bom ter uma projeção anual dos gastos, o que ajuda a cortar custos.

Economista de formação, ele explica que às vezes é necessário ter sangue-frio para conduzir o empreendimento. “Uma empresa pode ser lucrativa, mas ter um dia de saldo negativo. A nossa ideia aqui mostrar alternativas para que essa perda seja menor”.

Crédito: Equipe SP Leituras

Crédito: Equipe SP Leituras

O analista trabalha na unidade do Sebrae em Santana, localizada na Rua Duarte Azevedo, 280, onde são realizados atendimentos e cursos com um conteúdo mais detalhado, tirando dúvidas e ajudando a montar um fluxo de caixa personalizado.

No dia seguinte, 28, a BSP recebeu no mesmo horário a Oficina Ganhe Mercado, voltada para vendas. Na ementa, são explicadas formas de conhecer melhor o público-alvo da sua empresa e saber como preparar um mix de produtos e serviços adequados. “Essas duas palestras são o nosso carro-chefe. A de vendas é bem interessante e exercita um lado mais showman”, explica Simi.

É um consenso que para ter sucesso, é necessário saber sobre finanças, mesmo para quem não é da área. Esse é o caso de Fernanda Ferreira, 31 anos, estudante de ciências sociais. “O curso me trouxe informações que eu desconhecia, apesar de ter muitos conteúdos disponíveis na web”. A universitária conta que duas amigas têm a intenção de abrir empresas e a ideia dela é se capacitar. “Hoje com o MEI (Microempreendedor Individual) é relativamente simples abrir uma empresa. O grande desafio é manter a companhia funcionando no dia a dia”.

Já o estudante de engenharia de produção Lucas Savani Cano, 24 anos, disse que a oficina serviu para se preparar melhor na faculdade, já que o fluxo de caixa é uma disciplina abordada na grade curricular. “A palestra aqui na biblioteca foi boa e todo conhecimento é agregador”, comentou.

Essa é a mesma opinião da administradora de empresas Mayara da Silva, 27 anos. Ela gostou da palestra, que na visão dela serviu para revisar conceitos que aprendeu na graduação. “Para quem está no mercado de trabalho, é sempre bom participar de uma palestra e atualizar conhecimentos”, finaliza.

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário