Empreendedorismo é tema de curso na BSP

0
Foto: Equipe SP Leituras

Foto: Equipe SP Leituras

Inspirador, o curso “Empreendedorismo: Festival de Trufas”, realizado no final de maio e ministrado pela professora de confeitaria Danielle Trolezi, cumpriu seu papel, contribuindo com quem deseja transformar a paixão por doces em lucrativos negócios. Divididas em dois dias, as aulas contaram com auditório cheio na BSP e abordaram teoria e prática. Os participantes também receberam noções básicas de empreendedorismo com a equipe do Sebrae-SP. 

No primeiro dia, os alunos participaram, na parte da manhã, da palestra “Começar Bem: Formalização”, que apresentou os primeiros passos do processo para abrir uma empresa, por conta do Sebrae-SP. Já na parte da tarde, Danielle colocou a “mão na massa”, partindo para a parte demonstrativa do curso, explicando as diversas técnicas para trabalhar com chocolates.

DSC_7028

O segundo dia começou com a palestra ‘Fluxo de Caixa’, também ministrada pelo Sebrae, que reuniu informações importantes para que os participantes compreendessem de forma aprofundada a necessidade de controlar as finanças de um novo negócio. O palestrante José Augusto, analista de negócios do Sebrae, conduziu a aula, ressaltando a importância de respeitar todos os trâmites para tirar uma boa ideia do papel. “O mais importante é trazer uma noção básica para as pessoas sobre como funciona o mercado, o que é preciso para ter seu próprio negócio, conseguindo autonomia para identificar problemas neste processo e buscar soluções”. José ainda reforçou a disponibilidade do Sebrae para auxiliar quem está iniciando esse processo de profissionalização.

Finalizando o curso, a segunda etapa de confecção das deliciosas trufas seguiu com explicações sobre técnicas de manuseio, de apresentação, receitas, além de muita vontade de provar tudo.

DSC_7117

 

Dos dois lados da mesa

Gisele Lopes, de 34 anos, é técnica em logística e participou do curso pois está buscando um novo aminho profissional,. Gisele acredita que empreender com confeitaria é uma possibilidade de ser mais feliz. “Este curso além de agregar conhecimento, está me ajudando a definir em qual área da gastronomia eu quero trabalhar. É um curso de produção bem artesanal e isso me agrada muito, pois minha ideia é fazer o que gosto e ter menos estresse”, conta ela.

Além daqueles que buscam uma mudança de profissão, o curso também reuniu pessoas que já trabalham com doces e vendas. Como José Fernando, de 55 anos, que é vendedor e fabricante de trufas e pão de mel e encontrou nas aulas a oportunidade de trocar experiências: “Busco novas tecnologias, aprender outras formas de produção, além de conhecer pessoas que trabalham na área.”

“Eu aprendo mais com eles, do que eles comigo”. Essa é a sensação que Danielle diz sentir sempre que ministra aulas de confeitaria. Ela, que também descobriu nos doces uma forma de ser mais realizada profissionalmente, diz que passar adiante o conhecimento é o que ela mais ama atualmente na área.  “Gosto dessa troca, de conhecer pessoas. Amo dar aula e poder ver o resultado e o brilho nos olhos dos alunos quando veem os doces prontos e entendem que cada detalhe foi importante para ter um bom produto final”, ressalta.

Ao final, o curso resulta em uma mesa repleta de trufas e, em volta dela, uma turma inspirada a colocar os aprendizados em prática.

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário