Importante ferramenta de conexão, Libras ganha curso na sua BSP

0
Foto: Equipe SP Leituras

Foto: Equipe SP Leituras

Com todas as vagas preenchidas, o Curso de Libras – Módulo Básico teve início no dia 15 de agosto na Biblioteca de São Paulo, sob o comando de Samuel Ferreira (Thalita Passos se unirá ao grupo em uma segunda etapa das atividades). Surdo, Samuel foi quem deu a aula inicial, que já surtiu importantes efeitos nos atentos alunos, com diferentes interesses e backgrounds, mas com o objetivo de conectarem-se com quem vive a deficiência.

A começar por provocar ainda maior integração entre mãe e filha, visivelmente entusiasmadas, na primeira fileira do auditório. Gerusa conta que, quando a família descobriu a surdez de Geórgia optou por um tratamento no qual o surdo aprende a falar (“hoje, não aconselho”, diz ela). “Ela – Geórgia – aprendeu leitura labial sozinha. Só há pouco tempo que está aprendendo Libras”, complementa a mãe, que diz estar impressionada com o curso. “Foi muito mais do que eu podia esperar: que método dinâmico do professor! Nunca pensei que um surdo pudesse se comunicar tão bem”, elogia.

Gerusa, que já teve aulas de Libras antes, ressalta que a diferença entre o que já viu e o que viveu na BSP é significativa. “Pra mim e principalmente para minha filha, esse curso está sendo muito importante. Veja o que ela me disse: mãe, agora vou conseguir usar as mãos de maneira certa para me comunicar em Libras”, ressalta. Na opinião de Gerusa, o curso deveria constar da programação de mais bibliotecas públicas para garantir maior acesso da população, que, segundo ela, está cada vez mais carente de comunicação.

Para Hosana Barbosa, auxiliar de Leitura da SP Leituras, a participação no curso visa aprimorar o atendimento dado ao público surdo na BSP. Ela, que fez um curso básico de Libras há alguns anos aqui mesmo na biblioteca, explica a importância de retomar o conteúdo das aulas e praticar. “Ter esse curso gratuito em uma biblioteca é deixar acessível o saber de uma nova língua. E ter um caminho aberto para podermos entender esse público”, finaliza.

Ferramenta importante de conexão entre as pessoas com deficiência e com elas, a Linguagem Brasileira de Sinais exigiu dos participantes, logo na primeira aula, atenção redobrada a cada gesto, movimento e representação corporal. Com um pequeno – mas consistente – vocabulário já adquirido, depois do domínio do alfabeto, as atividades do dia ainda contemplaram jogos para a prática e a retenção do aprendizado. Um diálogo entre os participantes finalizou a aula de estreia do curso e deu, aos alunos, a certeza de que estão todos no caminho certo.

Perdeu a oportunidade de fazer o Curso de Libras? Fique atento em nosso site, que traz sempre a programação para próximas atividades que possam ser de seu interesse.

 

 

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário