Obra de Marçal Aquino é tema de animado encontro do Clube de Leitura

0
Foto: Equipe SP Leituras.

Foto: Equipe SP Leituras.

O Clube de Leitura de maio, na BSP, contou com turma animada composta até mesmo da estudante Sílvia, que tem seu TCC sobre a obra do escritor Marçal Aquino, centro das atenções do debate. O livro “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”, do jornalista, escritor e roteirista brasileiro, marcou a estreia de Mábila ao lado de Alan, da equipe da biblioteca, no comando do encontro pra lá de especial.

Realizada na penúltima quinta-feira do mês, a atividade teve grande parte do tempo focada no debate sobre a personalidade fascinante da personagem Lavínia, que, um dia, pode ser doce e, em outro, louca e selvagem. Foi ela que conquistou o coração de Cauby, fotógrafo que acaba parando em uma pequena cidade do Pará, lugar de garimpo. Na trama de “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”, o contexto dos garimpeiros e os universos dessa mulher e desses homens se misturam entre “cenas” de drama, romance e suspense.

Importante acrescentar que “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios” transformou-se em filme, lançado em 2012, dirigido por Beto Brant e Renato Ciasca, com Camila Pitanga, Zecarlos Machado e Gustavo Machado. Já leu algo de Marçal Aquino? Na BSP, há várias obras do autor. Entre elas, constam “O jogo do camaleão”, “A turma da rua Quinze”, “O primeiro amor e outros perigos”, “O invasor” (também em DVD) e “Cabeça a prêmio”. Para saber mais sobre o autor, confira o vídeo com o bate-papo com Marçal realizado durante o Segundas Intenções na Biblioteca Parque Villa-Lobos, clicando aqui.

Próximo encontro

Ao final do Clube de maio, os participantes saíram com a promessa de estarem juntos novamente no dia 27 de junho (quinta-feira), às 15h, para debaterem “Angola Janga”, de Marcelo D´Salete. Angola Janga, “pequena Angola” ou, como dizem os livros de história, Palmares. Formada no fim do século XVI, em Pernambuco, a partir dos mocambos criados por fugitivos da escravidão, Angola Janga cresceu, organizou-se e resistiu aos ataques dos militares holandeses e das forças coloniais portuguesas. Tornou-se o grande alvo do ódio dos colonizadores e um símbolo de liberdade para os escravizados. Seu maior líder, Zumbi, virou lenda e inspirou a criação do Dia da Consciência Negra. Durante onze anos, Marcelo D’Salete pesquisou e preparou-se para contar a história dessa rebelião que tornou-se nação. Venha participar do debate. Não é necessário fazer inscrição.

 

 

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário