Economia criativa e empreendedorismo caminham juntos na BSP

0
Foto: Equipe SP Leituras.

Foto: Equipe SP Leituras.

Cinco dias de intenso aprendizado, análise de casos e troca de experiências. Assim foi o Curso Super MEI Gestão, realizado no final de maio na BSP. A iniciativa, conduzida pelas equipes do Sebrae-SP, visa contribuir para o desenvolvimento sustentável de microempreendedores individuais (MEI) e potenciais empresários (aqueles que já têm um negócio informal), abordando temas relacionados com o gerenciamento dos negócios e até mesmo com os comportamentos de quem comanda as tais empresas.  Se considerarmos os comentários dos participantes ao final do curso, o objetivo foi plenamente alcançado.

A última aula, comandada pelo analista de Negócios Renato Gomes, tratou de aspectos essenciais para a sobrevivência de qualquer projeto como conhecer o público-alvo, formatar adequadamente produto/serviço e precificá-lo, além de divulgá-lo de maneira eficiente, utilizando, inclusive, as mídias sociais. Planejar, mapear e melhorar processos, controles e inovar foram alguns dos passos reforçados nos encontros, que centraram-se em exemplos variados para detalhar e aprofundar o aprendizado.

Segundo Gomes, que realiza esse tipo de curso há cinco anos, é essencial trazer as ferramentas para os empreendedores para dentro de espaços públicos como o da biblioteca. Na opinião do analista, a iniciativa também aproxima as pessoas do próprio Sebrae, de uma forma simples e objetiva. Para ele, foi lindo ver pessoas tão interessadas em realizar seus projetos pessoais e profissionais saírem do curso motivadas e preparadas para enfrentar o cenário atual da economia.

A jovem Lari participou, só em 2019, de cinco oficinas na BSP e não perdeu a oportunidade de saber mais sobre negócios. Ela, que é empreendedora, educadora e artista, ficou impressionada com as apostilas do curso, que resumem a teoria, mas também propõem exercícios. Lari trabalha com arte-educação e pretende multiplicar os conhecimentos adquiridos durante os encontros, promovendo reuniões com colegas para repassar o conteúdo aprendido. No auditório cheio da biblioteca estava também, bem perto de Lari, Paulo Afonso São Felippe, que é corretor e auditor de imóveis. Ele tem empreendido de forma individual e sentia falta de aprofundar os conhecimentos e até trocar experiências sobre negócios. No curso, pôde fazer tudo isso e ir além, retomando alguns processos básicos do cotidiano de quem comanda próprio projeto.

O advogado Detrich João de Almeida, que frequenta a biblioteca há anos, está envolvido na criação de uma loja de doces com a noiva e montando o seu próprio escritório jurídico. O curso encaixou-se perfeitamente no atual momento dos dois projetos e, mesmo que nem tudo se aplique a ambos, fica o aprendizado como empreendedor, como salienta. Afinal, como diz ele, agora são duas novas frentes de renda da família, que precisam de bom suporte e sustentação para solidificar e crescer.

Ao lado do cunhado Bruno Vigatto, Fernanda Santana já trabalha com marketing digital e participou do curso para incrementar seus conhecimentos como empreendedora. O objetivo de Fernanda é estruturar melhor a empresa para poder escalonar. Preocupada em não ser mais uma a começar um negócio e “morrer na praia”, ela tem plena consciência de que precisa conhecer os mecanismos de gestão profundamente para não fazer parte da estatística dos fechamentos.

Taciana Pororoka empreende há cerca de cinco anos e está à frente da Bangalo, empresa que eterniza, em joias e pingentes, cabelos, leite materno, dentes, cinzas de entes queridos. Para ela, uma das maiores dificuldades está na área financeira e, com o curso, conseguiu dirimir algumas dúvidas. Os encontros também serviram, segundo a empreendedora, como ponte com os consultores e analistas do Sebrae. Durante a aula, por exemplo, era comum encontrá-la conversando com os colegas e os “professores”, trocando experiências e consultando-se sobre gestão. Como ela, Bruno, Fernanda, Detrich, Lari e Paulo Afonso aproveitaram cada exemplo dado pela equipe do Sebrae para aprender e aprofundar o que já conheciam sobre negócios.

Ler para empreender melhor

Quem participou do curso percebeu também que a equipe da biblioteca selecionou alguns títulos disponíveis no acervo que podem auxiliar na formação e informação dos empreendedores. A escolha foi elogiada pelo consultor Gomes.

Confira alguns dos títulos: “Inteligência positiva”, de Shrizad Chamine; “O jeito Disney de encantar clientes”, do Disney Institute; “O lado difícil das situações difíceis”, de Ben Horowitz; “Ninguém enriquece por acaso”, de Jacob Pétry; “Marketing existencial”, de Luiz Felipe Pondé; “Apareça e cresça”, de Ricardo Merzvinskas; “O verdadeiro poder”, de Vicente Valconi; e “Feitas para durar”, de James C. Collins e Jerry I. Porras; entre outros.

Gomes também indicou programas de TV e filmes que podem contribuir para o dia a dia dos empreendedores como a série “Shark Tank Brasil” (exibida no canal a cabo Sony), o longa “Fome de poder” (que conta a história da formação da rede de fast food McDonald´s – disponível no Netflix) e o documentário “Truques da mente” (exibido no canal Fox e disponível no Netflix).

Oficina de brownies 

Quer empreender e não sabe por onde começar? A BSP realizará a Oficina de Brownies Modernos (módulo demonstrativo) nos dias 2 e 3 de julho, com a chef Danielle Trolezi, com carga horária de seis horas. Por ser uma opção, não?! Para participar das aulas, gratuitas, inscreva-se a partir de 11 de junho em https://bsp.org.br/inscricao/. Saiba mais em nosso guia de programação, clicando aqui.

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário