Franthiesco Ballerini fala sobre os gênios do documentário

0
Foto: Equipe SP Leituras.

Foto: Equipe SP Leituras.

O produtor e diretor John Grierson (1898 – 1972) será sempre lembrado por seus documentários etnográficos. Realizador de “Drifters”, ele é considerado o criador da nomenclatura “documentário social”. Estas foram algumas das informações com as quais o jornalista e escritor Franthiesco Ballerini deu início à primeira aula de seu curso na BSP, no dia 22 de novembro. Mesclando dados sobre os realizadores e exemplos dos trabalhos de importantes cineastas do gênero cinematográfico, Franthiesco compartilhou seu conhecimento sobre o tema com uma plateia formada por pessoas de interesses diversos.

Entre os participantes da Oficina de Documentário – Teoria e Prática estavam Matheus e Antônio. Os dois são atores e sempre desejaram aprofundar o conhecimento sobre o assunto. A oportunidade surgiu com a atividade na biblioteca, que Antônio já conhecia por ter feito, aqui, curso de Libras.

Matheus e Antônio. Foto: Equipe SP Leituras.

Matheus e Antônio. Foto: Equipe SP Leituras.

Dziga Vertov (1896 – 1954) foi outro dos gênios citados na aula de Franthiesco. Um dos primeiros cineastas russos a utilizar técnicas de animação em suas produções, Dziga também ficou conhecido por desenvolver princípios fundamentais de montagem no cinema. “A man with a movie camera” teve trechos exibidos durante o curso.

"A man with camera"  / reprodução ; Youtube.

“A man with camera” / reprodução ; Youtube.

Em seguida foi a vez de Leni Riefenstahl (1902 – 2003) ganhar destaque na aula. Dela, Franthiesco exibiu trecho emblemático de “Triunfo da vontade”, um filme propaganda por excelência que impõe às imagens dois objetivos: a glorificação do partido nazista e a deificação de Adolf Hitler.

"O triunfo da vontade" / reprodução / Youtube.

“O triunfo da vontade” / reprodução / Youtube.

Atividade contou ainda, em sua primeira aula, entre outros destaques, com detalhes sobre a contribuição de Frank Capra (1897 – 1991) à cinematografia. O americano, que mesclava documentário e política, fez “Prelude to war”, uma produção de domínio público que praticamente explicava as razões dos americanos terem entrado na guerra.

Prelude to war / reprodução / Youtube.

Prelude to war / reprodução / Youtube.

Ao fim do curso, Franthiesco abrirá espaço para a experimentação e a ideia é que os participantes partam para a prática, no dia 29 de novembro, próxima sexta-feira. Quer saber mais sobre o assunto? Há vários títulos em nosso acervo sobre cinema e também DVDs na biblioteca.

Foto: Equipe SP Leituras.

Foto: Equipe SP Leituras.

 

 

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário