/ governosp

#BSP11anos: espetáculo transforma sentimentos do público em cenas

0

“Surpresa.”

“Um espaço de liberdade.”

“É um exercício de criatividade.”

“Acolhimento, eu me sinto bem.” 

“Fiquei muito feliz pois as atividades de sábado da minha querida biblioteca voltaram!” 

“A biblioteca para mim é o mundo. Nela, eu posso fazer tudo que eu quiser!”

Essas foram algumas frases que marcaram a atividade de sábado da BSP. Integrando a programação especial em comemoração dos 11 anos da biblioteca, a Brasilis Playback Theatre apresentou, em formato virtual, o espetáculo “Tempo de História”. O espetáculo de improviso aconteceu a partir das narrativas do público. O elenco apresentou a proposta e, com base nos sentimentos relatados pela “plateia”, interpretou cenas que foram além da recriação dos relatos dos participantes.

O poder de emocionar realmente causou impacto. A peça sensibilizou para a escuta e promoveu a empatia. A estratégia do grupo sempre proporciona “ver” a vivência do outro representada por um sentimento que também pode ser seu. É “ver” a sua ou a história do meu parceiro na audiência, em detalhes. É perceber quantas perspectivas há num mesmo fragmento da vida. 

Fica a reflexão: talvez, a mágica do espetáculo seja a exclusividade de cada apresentação. As histórias de sábado não estarão em outras exibições, mas marcaram cada um dos presentes com relatos sobre o momento que estamos vivendo de distanciamento social e a importância que a BSP tem na vida de cada um. Sentimentos de amor, felicidade e gratidão pelo poder transformador da biblioteca conduziram a narrativa desse espetáculo de aniversário.

Crédito: Patrícia Amaral Mello Suannes.

Crédito: Patrícia Amaral Mello Suannes.

Mario, diretor da Brasilis, compartilhou com a gente um pouco do processo de desenvolvimento da apresentação e como foi a adaptação para o online. 

Como é o preparo para improvisar tantos sentimentos e histórias diferentes?
A equipe tem muitos anos de vivência, de ensaios semanais e de apresentações das mais diversas. Em nossos encontros, discutimos o que foi feito, como foi feito e descobrimos novas formas de fazer. É importante ressaltar também que é necessário um estado de neutralidade para não julgarmos nenhuma história, para sermos fiéis aos sentimentos do narrador.

Como foi o processo de levar o espetáculo para o online?
Foi difícil, bem difícil. Havia uma descrença inicial por parte de algumas pessoas na equipe. Começamos os ensaios em março do ano passado com os ânimos lá embaixo. Aos poucos, fomos descobrindo novas possibilidades e percebendo o que funcionaria melhor no online. Fizemos uma apresentação para amigos que deu super certo e fomos seguindo, com fé e resiliência. Depois, realizamos duas apresentações públicas e os trabalhos foram aparecendo. No final do ano de 2020, contabilizamos 80 apresentações online. Um super resultado!

Qual a maior “gratificação” e o maior desafio na realização desse espetáculo?
A maior “gratificação” foi perceber que o espetáculo online conseguiu estabelecer uma relação muito positiva com a plateia, houve interação e escuta. Os desafios foram muitos: desde a conexão com a internet (muitas vezes o participante não tinha vídeo e nem áudio; a comunicação se dava pelo chat), até estabelecer uma estética razoável, criar um cenário interessante e proporcionar uma iluminação adequada para um evento ao vivo e online.

Quer saber mais sobre a Brasilis Playback Theatre? O grupo possui site e redes sociais, onde é possível acompanhar o trabalho e a agenda de apresentações. 

E, para fechar com chave de ouro as comemorações do aniversário da biblioteca, participe do terceiro dia do BSP+ZAP!Slam. O encontro online será no dia 12 de fevereiro, às 19h. Para integrar a disputa, é necessário entrar na sala com 15 minutos de antecedência. Link do evento: https://us02web.zoom.us/j/89774171218

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário

Ouvidoria Transparência SIC