/ governosp

Leitura ao Pé do Ouvido apresenta poesia de Auta de Souza

0
Auta de Souza

Auta de Souza

O Leitura ao Pé do Ouvido apresenta o poema “Saudade”, de Auta de Souza. Natural de Macaíba, no Rio Grande do Norte, a poeta nasceu em 12 de setembro de 1876, teve uma vida breve e marcada por perdas. Aos 14 anos, ela foi diagnosticada com tuberculose e, mesmo doente, começou a escrever aos 16 anos e frequentava o Club do Biscoito, uma associação de amigos que promovia reuniões para recitar poemas de vários autores. Escute aqui o trecho que selecionamos para você! 

O poema completo está disponível em formato digital. Leia aqui!

Trecho lido: 

“A ela, a Eugênia, a doce criatura que me chama irmã. 

Ah! se soubesse quanto sofro e quanto 
Longe de ti meu coração padece!
Ah! se soubesses como dói o pranto 
Que eternamente de meus olhos desce 

Ah! se soubesses!… 
Não perguntarias 
De onde é que vem esta sombria mágoa 
Que traz-me o peito cheio de agonias 
E os tristes olhos arrasados d’água! 

Querem que a lira de meus versos cante 
Mais esperança e menos amargura, 
Que fale em noites de luar errante 
E não invoque a pobre noite escura. 

Mas… como posso eu levar sonhando 
A vida inteira n’um anseio infindo, 
Se choro mesmo quando estou cantando 
Se choro mesmo quando estou sorrindo! 

Ouve, ó formosa e doce e imaculada, 
Visão gentil de eterna fantasia:
Minh’alma é uma saudade desfolhada 
De mãe querida sobre a cova fria. “

Compartilhe

Sobre o Autor

Deixe um Comentário

Ouvidoria Transparência SIC